Fatores de Risco

Não existem atualmente testes de detecção precisos e seguros para o câncer de ovário.

O que a comunidade médica sabe é que existe um determinado número de fatores que aumentam o risco de a mulher vir a desenvolver a doença tais como:

Histórico familiar:

Aproximadamente 15% dos casos de câncer de ovário têm sua origem no histórico familiar. Isso significa que o risco é maior para as mulheres que têm parentes de primeiro grau (mãe, irmã, filha, avó, neta, tia ou sobrinha, quer seja do lado materno ou paterno da família) diagnosticados com câncer de mama, do cólon (útero) ou câncer de ovário em qualquer idade.

Idade:

A maioria dos casos de câncer de ovário ocorre em mulheres com mais de 40 anos de idade que chegaram à menopausa. Todavia, alguns tipos de câncer de ovário podem acometer mulheres jovens.

Síndromes genéticas:

O risco de desenvolver a doença aumenta em aproximadamente 5% a 10% quando a pessoa é portadora de anormalidades nos genes BRCA1 ou BRCA2. Esses genes fazem parte do grupo de genes que controlam a divisão das células. Quando eles sofrem mutações, deixam de exercer suas funções adequadamente aumentando o risco.
Mulheres com mutações no gene BRCA1 apresentam 20% a 60% de chance de desenvolver câncer de ovário até os 70 anos de idade. Nas que têm mutações no BRCA2, o risco é de 10% a 35%. Esses dois genes, quando alterados, também estão relacionados a um risco maior de desenvolver câncer de mama.
Outra síndrome conhecida é a de Lynch II que está associada aos cânceres de ovário e de intestino. Cerca de 10% das mulheres com síndrome de Lynch II desenvolverão câncer de ovário no decorrer da vida.

Reposição hormonal:

A reposição hormonal na fase de menopausa está associada ao risco de desenvolver tumores malignos induzidos pela exposição ao estrógeno, como são os casos dos cânceres de ovário, endométrio e mama. É interessante lembrar que o uso de pílulas anticoncepcionais e as gestações são fatores protetores que reduzem o risco de desenvolver tumores de endométrio e de ovário.

Obesidade:

Alguns estudos sugerem que mulheres obesas podem apresentar até 50% a mais de risco de desenvolver câncer de ovário do que as mulheres não obesas.

Outros fatores:

O risco de desenvolver câncer de ovário é maior nas mulheres que não tiveram filhos, que nunca tomaram a pílula anticoncepcional, que iniciaram o período menstrual muito cedo ou cuja menopausa começou mais tarde do que a média. Para as mulheres que já tiveram endometriose é mais provável desenvolverem câncer de ovário.

Converse com seu médico para saber qual poderá ser seu risco pessoal.

Se você tiver antecedentes familiares de pessoas com câncer de mama ou de ovário, ou possue algumas das condições indicadas acima, sugerimos procurar aconselhamento genético.